NATAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO


Caros irmãos, com grande alegria, celebramos o Natal de Jesus Cristo, nosso Senhor e, na Missa da noite, a liturgia nos oferece, para nossa contemplação e oração, o relato do nascimento de Jesus segundo S. Lucas (cf. Lc 2,1-14). Abramos, sem medo, nosso coração para receber a extraordinária manifestação do amor de Deus por nós: Seu Filho encarnado.

Este período do ano é marcado por uma alegria difusa, por vezes, ingênua. Alguns atribuem esta alegria à “magia do Natal”; outros, às férias; outros ainda, à esperança de “que tudo se realize” no ano novo que bate às portas... Mas, e nós, cristãos, por que estamos alegres? Por que nos reunimos nesta noite para fazer festa? O profeta Isaías, na primeira leitura, aponta para o motivo do nosso júbilo: “todos se regozijam na tua presença” (Is 9,2b). Sim, meus irmãos! Uma Presença é nossa alegria! Ele veio até nós, como luz que brilha na escuridão afugentando o medo e iluminando a estrada, o caminho. Nele, “a graça de Deus se manifestou trazendo salvação para todos os homens” (Tt 2,11 – segunda leitura). Naquele Menino reconhecemos o Deus todo-poderoso que, por nos amar tanto, veio ser Emanuel – Deus conosco.

Dessa forma, como naquela noite santa, cada um de nós precisa escolher se abre ou não as portas da nossa hospedaria, do nosso coração, para acolhê-lo. Que tragédia seria que não nos abríssemos ou não tivéssemos espaço para Ele... É possível, porém, que, mesmo querendo recebê-lo, não possamos oferecer-lhe algo muito mais digno que uma manjedoura... Mas, se Jesus não rejeitou nascer naquela situação não nos deixará pela nossa miséria; ao contrário, Ele nos transformará completamente. Uma coisa, porém, Ele precisa: que abramos as portas do nosso coração para que Ele possa entrar. “Não tenhais medo de Cristo! Ele não tira nada, ele dá tudo. Quem se doa por Ele, recebe o cêntuplo. Sim, abri de par em par as portas a Cristo e encontrareis a vida verdadeira”. [1]

Ó Pai dá-nos o Espírito Santo para que tenhamos coragem de abrir nosso coração esteja aberto a Teu Filho Jesus Cristo! Maria santíssima, Mãe de Deus, e São José, nosso protetor, levai-nos sempre à presença de Jesus.

Sub tuum præsidium confugimus. sancta Dei Genitrix: nostras deprecationes ne despicias in necessitatibus: sed a periculis cunctis libera nos semper, Virgo gloriosa et benedicta.

[1] Bento XVI, Homilia de sua Santidade na Santa Missa de imposição do pálio e entrega do Anel do Pescador para o início do Ministério Petrino do Bispo de Roma.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo