QUINTO DOMINGO DA QUARESMA – Ano C





Caros irmãos, a liturgia do quinto domingo da Quaresma, ano C, leva-nos a contemplar Jesus que, na esplanada do Templo, confronta-se com os fariseus, os mestres da Lei e a mulher surpreendida em adultério (cf. Jo 8,1-11). Deixemo-nos tocar pelo amor misericordioso de Deus e tornemo-nos misericordiosos como Ele.

Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra” (Jo 8,7) – com essas palavras, o Senhor leva os fariseus e os mestres da Lei a se encontrar consigo próprios. De fato, a Lei de Deus é fundamental para a orientação da nossa vida; não para nos transformar em juízes ou acusadores. Dessa forma, deixemo-nos tocar pela vontade daquele que nos quer fazer novos – e já nos está fazendo com a presença redentora (cf. Is 43,19) que nos acompanha durante toda vida, em particular neste tempo quaresmal.

Aquela cena, porém, só chega ao fim com um breve e profundo diálogo entre nosso Salvador e a mulher que se conclui com as seguintes palavras: “Eu também não te condeno. Podes ir, e de agora em diante não peques mais” (Jo 8,11). A divina misericórdia que tudo perdoa não é uma permissão para continuarmos no pecado, mas é a chance, sempre renovada, que temos para ficar de pé e viver como filhos no Filho pela comunhão com a Sua Paixão e a força de Sua Ressurreição (cf. Fl 4,10). Decidamo-nos por Ele, para viver com Ele e n’Ele.

Ó Pai, que o Espírito Santo nos sustente no caminho da permanente conversão ao Teu Filho, Jesus Cristo! Maria santíssima, Mãe de Misericórdia, interceda por nós a fim de que sejamos perseverantes no caminho de Deus. São José, nosso protetor, dá-nos uma vida de profunda intimidade com Jesus.

Sub tuum præsidium confugimus. sancta Dei Genitrix: nostras deprecationes ne despicias in necessitatibus: sed a periculis cunctis libera nos semper, Virgo gloriosa et benedicta.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo