SOLENIDADE DE TODOS OS SANTOS

Caros irmãos, neste domingo, celebramos a Solenidade de todos os santos, transferida do último dia primeiro, e na liturgia, Jesus nos mostra o perfil da Sua santidade, da qual Ele nos quer fazer participantes, através das bem-aventuranças (cf. Mt 5,1-12a). Peçamos ao Senhor que nos ilumine a mente e inflame a vontade para que correspondamos à Sua Graça.

Em primeiro lugar, precisamos nos dar conta que a santidade é a nossa vocação: fomos criados para ser santos. E tal é a importância disso que o Concílio Vaticano II dedicou todo o capítulo quinto da Lumen Gentium, constituição dogmática sobre a Igreja, a este tema. Sim o Senhor quer ser tudo em cada um de nós sem exceção. Essa verdade está expressa na liturgia de hoje através do número 144.000 e da multidão incontável de todas as nações, tribos, povos e línguas (cf. Ap 7,4.9 – primeira leitura). Sabemos, porém, pelo ensinamento da Igreja e pela nossa experiência, que ninguém é capaz de santificar-se, mas recebe a santidade como um dom: unidos a Cristo, o Justo e Santo, através da fé que alimenta a esperança e se torna ativa na caridade vamos morrendo para nós mesmos e vivendo para o Senhor como Seus filhos (1Jo 3,1-3 – segunda leitura).

Além disso, já que a santidade é a nossa vocação, nela se encontra a nossa realização, a nossa felicidade. Por isso, nosso Senhor diz que são felizes (bem-aventurados) os pobres em espírito, os aflitos, os mansos, os que têm fome e sede de justiça, os misericordiosos, os puros de coração, os que promovem a paz e os que são perseguidos por causa dele. Essas são características do próprio Senhor Jesus Cristo e é, como já dito, nossa comunhão com Ele que nos fará adquiri-las. Mas, ainda que corresponder a esse dom seja custoso e que o resultado pareça uma derrota, trata-se, na verdade, da nossa realização mais profunda, da felicidade completa, porque seremos imersos no mistério Amor que é o próprio Deus. Deixemo-nos, então, alcançar e transformar pelo amor de Deus e o correspondamos de todo coração.

Ó Pai dá-nos o Espírito Santo para que Teu Filho Jesus Cristo viva em nós! Ó Maria, santíssima mãe de Misericórdia, confirma-nos no nosso sim a Deus! São José, nosso protetor, ensina-nos a amar Jesus.

Sub tuum præsidium confugimus. sancta Dei Genitrix: nostras deprecationes ne despicias in necessitatibus: sed a periculis cunctis libera nos semper, Virgo gloriosa et benedicta.



5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo